Record Collection entrevista Amy Lee !

Veja abaixo uma entrevista que Amy deu à revista Record Collection, que chega às bancas do Reino Unido no próximo mês, com perguntas muito interessantes!

O álbum título do Evanescence, seu terceiro, iserá lançado pela Wind-Up/EMI bem a tempo da turnê no Reino Unido em novembro. A Record Collection perguntou á cantora Amy Lee sobre esse álbum que ficou em gestão por tanto tempo.

Amy: levou dois anos e meio, e eu tinha muito material. Algo para dois álbuns, então nós tivemos que dividir as coisas e martelá-las, mas um dia todas essas músicas irão ser lançadas, e é um problema legal de se ter. Nós gravamos 16 músicas, e 12 estão no álbum, então as outras vão para a versão Deluxe. Eu costumava ir pro meu estúdio no piso de cima e gravava durante a noite e iria trabalhar nelas de um modo solitário, como sempre faço, mas também trabalhamos junto com a banda bem mais dessa vez, trabalhando para a música mesmo, o que deu a elas um sentimento de ao vivo que tornou-as coloides, em vez de ser um punhado de pedaços um em cima do outro como usualmente faço muitas vezes. As letras eram o meu território, mas todos estavam evolvidos na parte de tocar dessa vez e eu iria trabalhar bastante nos vocais par depois mandar para eles po email protegido por senha, para ver o que eles achavam, e daí nós nos juntávamos para poder tocar.

RC: O Steve Lilywhite estava envolvido como produtor antes?

Amy: Sim, nós trabalhamos juntos, mas infelizmente não deu certo por diversas razões. Ele é um cara genial, mas nós passamos por diversas fases diferentes no processo de composição e chegamos num ponto em que eu estava muito empolgada com todas as músicas que tínhamos e fomos par o estúdio. Mas assim que chegamos, começou a ficar mais claro que aquilo não estava certo… A banda queria estar envolvida, as músicas precisavam ser melhor trabalhadas, então nós tivemos que tomar uma dura decisão (suspiros) e dizer “certo, nós temos que trabalhar mais e parar o que estamos fazendo”. E no final, quando tínhamos um corpo de trabalho com o qual estávamos realmente confiantes, no começo desse ano, nós falamos com Nick Raskulinecz, que se encaixava muito mais com o jeito que as músicas estavam indo. Ele fez o último álbum dos Deftones, do Alice in Chains, do Rush e todos eles foram muito inspiradores para nós. Ele sabia de rock, nós estávamos mergulhados nos discos dele, e eu dizia “eu tenho que encontrar esse cara”. Ele era o car certo e nos fez ir fundo em seis semanas de pré-produção com a banda sentada com seus instrumentos, o que ele disse fazer parte do seu processo, e eu pensei “sabe, esse cara vai ser um desafio, ele vai me forçar, e isso é o que há d emelhor para uma banda para chegar ao âmago”.

RC: O álbum novo vai sair em vinil?

Amy: Sim, eu quero tirar uma pequena quantidade, o que vai ser bem legal. Eu ainda tenho vinis em casa. Todas as coisas antigas, e já faz um tempo, mas nós temos um tocador de LP na sala e às vezes tocamos os discos.

RC: Você pretende gravar algo da turnê?

Amy: Oh. Ainda não pensamos nisso ainda. Nunca se sabe. A montanha-russa está decolando de novo.

Créditos: IEssence !

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s