Evanescence na próxima edição da Revista Kerrang Magazine !

Mais uma vez, a revista britânica Kerrang!trará em sua próxima edição uma matéria com o Evanescence. Mais focada no retorno da banda, a matéria também cita pontos forte na trajetória da banda, divisões e sucesso. Veja a seguir scans e a tradução da matéria:


Evanescence – Evanescence (Wind-Up)
KKKKK (ou seja, 5 estrelas)

Os roqueiros góticos melancólicos voltam com uma tempestade de emoção perfeita.

A ESTRADA que levou Amy Lee e o Evanescence a esse ponto foi longa e sinuosa. Até agora, sua história tem sido um sucesso comercial impressionante sobrecarregado por amargas divisões pessoais e disputas judiciais. Tendo sobrevivido a situações em que assuntos pessoais se tornaram dolorosamente públicos (a partida do co-compositor/guitarrista Ben Moody e a separação romantica de Amy Lee com o lider do Seether, Shaun Morgan), a única pergunta para a Amy – agora o único membro original da banda – é se ela pode repetir os sucessos anteriores 5 anos desde seu último álbum The Open Door.

O álbum de estreia, Fallen, de 2003 vendeu uma notável marca de 17 milhões de cópias e foi mantido por pela vencedora do grammy Bring Me To Life. Desde então Amy – sua emocionante e quase chorosa voz e a imagem distintiva levemente gótica vitoriana – cresceu pra se tornar uma das mulheres mais significantes e influentes no rock. Embora sua longa ausência, e o fato de que as sessões de gravação iniciais em 2010 foram abandonadas, sugeriram que seu retorno seria conturbado, não há sinal disso aqui. Esse retorno auto-intitulado (não encontrei uma definição correta em português) é facilmente seu trabalho mais coese e confidente. Ele é também seu melhor álbum até o momento.

Embora o foco provavelmente permanecer em Amy em 2011, este parece mais o empenho de uma banda do que o The Open Door – as músicas e o tom se mantendo juntos em um formato que parece confortavelmente completo. Acima de tudo, o que vai atrair velhos e novos fãs a ele é a irresistível emoção que Amy coloca em sua performance. Embora a majestosa balada Lost In Paradise possa ser especialmente uma reflexão de lutas passadas, esse é um álbum que nunca foge navegar por águas agitadas em outros lugares, também. “It’s all gone, the only world I’ve ever known” (Tudo se foi, o único mundo que conheci) ela lamenta em Never Go Back, uma música inspirada pelos stunamis japoneses. Em outro lugar, no primeiro single What You Want ela chega a conclusão que “Love will guide you home” (o amor vai te guiar pra casa) antes de My Heart Is Broken desenvolver-se em uma busca, um gancho emotivo, em alto nível entre os melhores materiais que essa banda já tenha gravado.

Essa consistente qualidade do álbum poderia facilmente re-estabelecer o Evanescence de volta no mapa do rock em 2011. Sem uma sombra de dúvida, essa é o melhor momento da Amy como uma cantora. Instintivamente o bastante pra fazer um rock pesado, ele se alimenta de ganchos e mal-humorados riffs, que surgem e desvendam uma maneira que consegue ser, ao mesmo tempo, pessoal e universal. Ele é, como Amy relatou durante sua gravação, um sinal de que ela se apaixonou novamente pelo Evanescence e seus fãs. E você deve se preparar pra se apaixonar por eles todos novamente, também.

BAIXE: What You Want, My Heart Is Broken, Made Of Stone.
PARA FÃS DE: Lacuna Coil, Within Temptation e HIM.

Créditos: Ev Rock BR e EvShadow !

Uma resposta

  1. onde você comprou essa resvista?! to louca atraz dela tbm tem slipknot é 30 second to mars nela se sabe onde vende pela net?

    22/12/2011 às 6:32 pm

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s