Amy: “O público sempre será parte da energia” !

Amy Lee deu uma entrevista ao Portal Terra da Colombia hoje respondendo a perguntas enviadas por fãs ao portal. Segue abaixo a entrevista traduzida:

 

 

Amy: “O público sempre será parte da energia”

A proposta do Terra aos fãs do Evanescence levou a dezenas de perguntas enviadas através de redes sociais. Muitas delas giravam em torno das mesmas preocupações: Por que a banda dá uma pausa tão grande entre álbuns e turnês? Como foi ter experimentado mudanças na indústria nos últimos anos?

Finalmente houve o encontro entre Amy Lee e o Terra Colombia. No próximo 27 de outubro o encontro será completo quando Lee e o restante da banda se encontrarão com os milhares de fãs colombianos que os esperam.

A mais doce voz de rock gótico nos deixou seus sentimentos nesta turnê que traz ela e seu grupo pela primeira vez ao país. Ela compartilhou os momentos mais altos da sua setlist e deixou uma única mensagem para um fã especial colombiano.

Muitos fãs se perguntam por que essas interrupções longas entre álbuns e turnês na carreira do Evanescence. O que você pode dizer?

Eu acredito que a arte e a música que eu tenho a me inspirar são como resolver um problema de matemática. Se eu tiver uma ideia e eu quero criar algo eu tenho que dar um tempo. Embora meus fãs não sejam o centro das atenções sempre, eu amo os fãs, mas é difícil estar sempre lá. Nas pausas entre os álbuns, sempre pensamos que o fizemos será o último e nunca nos preocupamos em procurar um álbum, o álbum nasce quando as músicas estão prontas, não antes.

O que os têm motivado nesta nova turnê?

Nossa meta este ano é ir a maior quantidade de países desconhecidos para nós que pudermos. Estávamos no Sudeste Asiático em cidades incríveis, fomos também pela primeira vez à Costa Rica. Agora estamos nesta parte da América Latina, com muitas mensagens de fãs, incluindo Colômbia, Uruguai e Peru. Tem sido uma verdadeira aventura.

O mercado latino-americano está crescendo rapidamente e está emergindo como um dos mais importantes no setor de shows. Isso foi dito por Billy Corgan em Bogotá há alguns meses, qual a sua opinião?

Eles são muito apaixonados. Alguns anos atrás, quando fomos os primeiros na América Latina, no Brasil e na Argentina, ficamos impressionados com a paixão das pessoas. É muito interessante que todas as bandas estejam atentas a esta parte do mundo, é claro. Agora a indústria mudou e a única maneira dos artistas ganharem dinheiro é com turnês e shows e a América Latina tem a força para obter grandes turnês.

Falando de mudanças da indústria, a estreia da banda foi em 2003, no meio do furacão produzido pelo Napster e da Internet na música. Como você experimentou essa mudança, nos quase 10 anos do Evanescence?

Na verdade é um momento muito delicado para qualquer banda, a indústria não está passando por um bom momento e muitas pessoas não sabem o que fazer. A boa notícia é que a informação e o acesso aumentaram e as bandas não têm de esperar por um contrato com uma gravadora para lançar um álbum. Elas já não têm de esperar por um show para ser memorável o suficiente, agora você tem um vídeo viral na Internet e é o suficiente. Isso é maravilhoso. Mas não vemos mais prateleiras com discos à venda, as pessoas querem música livre e isso não pode ser. Durante anos para as bandas têm sido difícil não pensar em maneiras de fazer pausa na música, porque elas não estão fazendo dinheiro, mas não é o fim da música, as pessoas sempre vão precisar de música.

No setlist da turnê, qual música você considera que mais te conecta com seus fãs?

A pergunta é difícil, porque durante todo o show minha performance está sempre procurando se conectar com o público. Isso é o que eu mais gosto. Não temos no estúdio ou quando você recebe um prêmio. O público será sempre parte da performance, uma parte da energia. Eu gosto do momento de “Bring Me to Life”, porque todo mundo sabe, até mesmo o cara que acompanha sua namorada e que nunca ouviu falar. Mas o que eu mais gosto de compartilhar com os fãs são as músicas novas, porque elas são tão frescas para mim e este álbum é o que mais expressa o que está dentro de mim.

A Colômbia tem um grande número de fãs do Evanescence e nos últimos anos sempre contou com a possível vinda da banda. Agora que tomou forma, o que você espera deste encontro que será em outubro?

Eu não sei muito da Colômbia, nos últimos anos tem havido muitos esforços para que fôssemos e eu estive esperando todo esse tempo para ir até lá. É impressionante ver os fãs de todo o mundo e é a melhor maneira de compreender as culturas dos países que você visita. Que alguém me mostre a Colômbia!

Uma fã chamada Alejandra Sandoval enviou uma mensagem perguntando o que você sentiu ao saber que suas próprias composições salvaram vidas e deu o exemplo dela. O que é que você sente quando ouve essas histórias?

De todas as coisas, de todas as frustrações que tive, tudo o que já falei sobre a indústria e a loucura deste negócio, nada importa quando eu tenho uma conversa com alguém que me diz que a minha música salvou ou tem ajudado, sabendo que a nossa música acompanhou a pessoa em um momento tão difícil é incrível. Obrigada Alejandra por compartilhar esta experiência comigo e com certeza vamos nos encontrar quando há uma história incrível e eu sinto que eu não posso levar todo o crédito por salvar a vida de alguém. A música tem sido uma saída para as minhas emoções e meus sentimentos e eu adoro que as pessoas experimentem com a minha música o que eu já experimentei, me faz sentir que tudo isso não tem sido totalmente egoísta.
Créditos: IEssence!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s