EDIT – Amy Lee em destaque na capa da revista francesa My Rock !

A Amy Lee está em destaque na capa da revista francesa My Rock. Veja abaixo a imagem !

Tradução e scans da matéria publicada na revista francesa My Rock:

Amy, este é um momento que os fãs aguardam o retorno do Evanescence. O que aconteceu durante esses anos?

Primeiro de tudo, sou casada e eu queria sair um pouco de férias. Eu queria passar um tempo com meu marido, no amor, viver em nossa bela casa (risos). E aproveitei para aprender harpa! Eu gosto da idéia de estar constantemente crescendo como musico e, para o meu aniversário, meu marido me deu uma. Este é o tipo de coisa que muitas vezes falam sem nunca perceber. Então, foi uma grande surpresa! E passei dois anos escrevendo músicas. É verdade que levou tempo, mas porque eu queria que tudo fosse parfaet. Este álbum era a melhor coisa que o Evanescence poderia fazer. E é!

Por que adiaram o lançamento do álbum?

Inicialmente pensou-se ser lançado no Outono de 2010, mas não estava pronto. Era necessário trabalharmos mais nas músicas. E eu tinha muitas canções disponíveis, foi difícil escolher! Eu queria experimentar coisas novas, porque muitas músicas não eram realmente “rock”. E como o tempo passava, mais eu percebia que a agressão e poder do rock estava faltando. Eu quase me esqueci daquela parte de mim! Quando acabamos de nos casar, estávamos nas nuvens, descontraídos, cheio de amor (risos). Eu estou contente de ter ido por essa fase, porque estar no palco todas as noites e cantar as mesmas palavras por anos… Eu precisava de uma pausa. Mas eu sou um músico de primeira e o grupo começou a me decair. Seja com o Evanescence, é certamente o que provoca mais emoções em mim. Aos poucos, percebi que ainda tinha algo a expressar através da música.

Um novo começo

Esta é a primeira vez que vocês não estão na capa do disco. Por que essa escolha?
Para mim, este disco é como um novo começo. No “Fallen”, ninguém sabia quem nós éramos, ainda assim, buscava um pouco. No “The Open Door”, foi como destacar uma outra parte da nossa história e tentar algo diferente. Com “Evanescence”, depois de todos esses anos, eu sinto como se eu me conheço melhor e entendo melhor a banda, que não era o caso antes. Há um monte de nostalgia quando penso. É como voltar para casa após uma longa viagem. É uma sensação muito suave. Esta bolsa é a nova versão do Evanescence, mais maduro e adulto. Você também sente nas canções.

É verdade que já faz 15 anos que Evanescence faz parte da sua vida?

Metade da minha vida, sim. É exatamente por isso que eu precisava de um tempo (risos). Eu precisava saber quem eu era, porque eu queria ser a vocalista do Evanescence. Tenho orgulho de fazer parte dessa banda, amigos, esta é apenas uma parte de mim. Estar diante de jornalistas e fãs, às vezes é estranho para viver. Embora eu amo cantar e conhecer pessoas, em algum momento eu precisava me encontrar e ter uma vida “normal”. Foi benéfico, porque agora eu sei que eu nasci para ser parte de uma banda de rock. E, graças aos fãs que sempre nos apoiaram, Evanescence tem um retorno puro para a frente do palco com a mesma facilidade, sem ter nada a provar.

Falando em evolução, é a primeira vez que Troy, Tim e Will estão envolvidos na criação de um de seus álbuns…

Sim e foi fabuloso. Eles são excelentes músicos e eu amo estar no palco com eles. Eles são exatamente o que queríamos para limpar o grupo, tanto ao vivo no estúdio. Muito se aprendeu com os outros, incluindo a forma de trabalhar juntos, por isso, quando todos estavam dispostos a colocar-se nas composições de um álbum, era enorme. Porque no final da turnê do TOD, eu não tinha dito que iria voltar ao estúdio tão cedo. “Viva a sua vida, eu vi a minha e ela me chamou!”. Não foi planejado e quando nos encontramos, foi como uma reunião de família. Foi ótimo ver que todo mundo estava dentro das músicas e queria trabalhar em conjunto.

É também a primeira vez que você trabalha com o produtor Nick Raskulinecz.

Absolutamente. Quando eu conheci Nick, muito foi feito e foi legal. Nós tínhamos a mesma opinião sobre a indústria da música e o que está atualmente no rádio. E ele imediatamente entendeu a direção que a banda queria, só por ouvir algumas demos, que é muito significativo. Mesmo que nossos métodos de trabalho são completamente opostos, tudo correu perfeitamente. Em vez disso, eu costumava escrever no meu canto, privadamente, enquanto ele prefere realizar sessões de jam com a banda completa no estúdio. Eu estava um pouco assustada no começo, mas eu sabia que precisava dessa experiência para avançar no progresso. Quanto a mim, este álbum foi como um desafio. Nick me ajudou e me empurrou na direção certa. Foi um trabalho duro, claro, mas em um excelente ambiente.

A cor definitiva do arco-íris

Isto pode ser visto ouvindo o álbum. Também parece muito suave ouvir “Swimming Home”. Há um lado muito agradável de Alanis Morissette.

Ela é uma artista que admiro muito. É fabuloso. Eu escuto a música dela desde que eu era adolescente e me inspiro nela. Mas é divertido, porque termina em uma música tão doce e isso não era nossa ideia inicial. Inicialmente, queríamos “Never Go Back” no final do álbum, porque é a música mais épica que já fizemos. Além disso, The Open Door termina com uma balada, e eu queria reproduzir o mesmo padrão. Mas, em última análise, mais ouvindo, como tal, eu achei mais incrível. Eu escrevi “Swimming Home” há alguns anos atrás, quando eu perguntei a mim mesma um monte de perguntas sobre o futuro da banda e sempre foi muito bem sucedido no meu ambiente. Quando você ouve, você se sente em paz, e é um sentimento que nós realmente não tinhamos abordado na música do Evanescence anteriormente. Essa música é muito diferente do que você encontra no disco, é também por isso que eu mal podia encontrar um lugar pra ela. O Tim que sugeriu para colocá-la em último lugar, e ouvir tudo em um, percebemos que se encaixava perfeitamente. Esta é a última cor do céu no ar.

Uma música humana

“What You Want” é uma excelente escolha para single. É muito poderosa!

Este é um bom single, porque é a representação perfeita do que a banda se tornou. É bem diferente do que poderíamos fazer no passado, e é uma boa introdução ao álbum. Quando começamos o dia no estúdio, todos bateram palmas e ficaram entusiasmados. Eu gosto do que o título emerge e o fato de que não é necessariamente o que as pessoas pensam do Evanescence. Esperavam talvez ouvir uma balada de piano melodramático, mas eu não estou interessada! Eu ainda sou jovem, eu tenho que dizer, daí até a raiva de mim (risos)!

Qual música que foi difícil de compor?

Oh yes! “Lost in Paradise” é definitivamente a canção que eu mais gosto, mas também o tema que foi o mais difícil de tratar. As pessoas pensam que sou perfeccionista, o que é verdade, mas não o tempo todo! Quando se trata de música, quero fazer o melhor possível. Eu teria me sentido muito mal depois de todos esses anos, eu não sinto que temos dado tudo para o álbum ideal. O que eu recolho de “Lost in Paradise” é que é uma música “humana”. Eu não sou agressiva sobre este título e eu não grito que eu sou mais forte ou vou sair, como eu fiz antes. Pelo contrário, eu reconheço que existem momentos quando é errado e que eu tenho fraquezas. Eu não posso fazer o que é esperado de mim, porque eu sou humana! Isso me fez um bem enorme para ser capaz de colocar em palavras o que senti e deixá-lo comigo.

Com uma orquestra real

Quais são os seus sonhos musicais para o futuro?

Estou cheia! Como um show com uma orquestra real, que integrará todos os sons que você pode ouvir nos meus álbuns, sem a necessidade de um computador. Que seria sublime! Caso contrário, eu sempre quis fazer uma música para cinema, como eu fiz para “Narnia”. E por que não ser parte de uma colaboração musical totalmente diferente do que eu costumo fazer? Eu cresci interessada ​​em participar de algo único.

*Scans

Créditos: IEssence , Ev Rock BR  e @AmyLee_BR!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s